quinta-feira, dezembro 17, 2015

As principais diferenças entre chope e cerveja

A cerveja é uma bebida produzida a partir da fermentação de cereais, principalmente a cevada maltada. Acredita-se que tenha sido uma das primeiras bebidas alcoólicas que foram criadas, e é a bebida alcoólica mais consumida no mundo atualmente.

A palavra Cerveja tem origem no gaulês, através do latim “servisia” ou na derivação do nome da Deusa Romana da terra e dos cereais Ceres.
A palavra Chope tem origem no alemão “Schoppen” que significa copo de meio litro.

A fabricação da cerveja ocorre com os mesmos ingredientes e processos de produção, tornando-se chope a partir do momento do envase da bebida, apresentando suas diferenças apenas no momento em que é servida.

Então porque parecem bebidas distintas?

DIFERENÇA
CERVEJA
CHOPE
EXCEÇÃO
Pasteurização (Choque térmico que elimina micro-organismos e evita que a cerveja mude suas características com o tempo)
NÃO
SIM
Essa diferença pode ser eliminada nos casos em que temos uma cerveja engarrafada que não passou pelo processo de pasteurização, e que, portanto, guarda as mesmas características de frescor, aromas e sabores que estão no chope. Ou mesmo, no caso de uma cervejaria pasteurizar seu chope, para lhe garantir maior tempo de vida (como já é feito pelas grandes cervejarias).
Peso da bebida (Chope é carbonatado e servido com mais CO2. Tornando-o mais suave e refrescante.)

Mais pesada
Mais Leve
A Guiness, por exemplo, visando eliminar a diferença entre seu chope e cerveja colocou em sua lata uma cápsula de nitrogênio, que explode no momento em que se abre a lata incorporando o nitrogênio ao líquido já carbonatado, formando aquela linda espuma e passando a sensação de suavidade e frescor.
Portabilidade (Dificuldade para beber em casa para transportar).
Garrafas mais fáceis de levar e servir
Chope é difícil de transportar e exige equipamento profissional e caro
Essa característica dificulta a popularização do chope em residências, mas essa diferença também pode ser eliminada. Para reduzir essa dificuldade logística uma nova tendência vem ganhando força no Brasil: os clubes do Growler (Recipiente feito para armazenar e transportar chope). Com o growler já é possível levar o chope até sua casa ou festa, retirá-lo no bar ou até mesmo cervejaria perto de sua casa.

Concluímos que existem diferenças, mas nenhuma absoluta, podendo ser superadas de acordo com o interesse da cervejaria ou mesmo do cliente.

De certo apenas uma coisa: cerveja boa, de garrafa ou de barril, vem aí!

quinta-feira, novembro 12, 2015

BorbaBeer Red Mosquito - Tributo ao Pearl Jam

Rótulo BorbaBeer Red Mosquito



Se seus maiores ídolos viessem até a sua cidade, o que você faria para comemorar?

Mineiros são famosos por serem acolhedores. Visitar um mineiro e não tomar um cafezinho é quase um insulto. Mas café e rock não combinam... E nós, como cervejeiros, não teríamos resposta melhor, senão uma CERVEJA!!!

A nova cerveja da BorbaBeer nasce da ideia de uma grande amiga, fissurada pelo Pearl Jam, que nos propôs pensar numa receita que representasse o espírito da banda americana de rock alternativo, formada no ano de 1990 em Seatle, Washington.

Por isso criamos uma receita de cerveja para marcar essa mais nova visita, para dizer obrigado em nome de todos os fãs de um jeito bem cervejeiro!

Surge então a edição especial Red Mosquito (8ª música do álbum No Code, de 1996), uma Red Rye IPA (Índia Pale Ale vermelha com centeio) vermelha, encorpada, bastante amarga e com aromas cítricos em destaque, seguindo a tendência americana de produção. Buscamos uma cerveja marcante e surpreendente, que não passará despercebida pelos que a experimentarem. 

Cerveja boa vem aí!


quinta-feira, outubro 29, 2015

As 10 perguntas mais ouvidas pelo cervejeiro caseiro







Saudações Cervejeiras!

Fazemos cerveja há alguns anos, e convivemos desde então com reações engraçadas daqueles que descobrem que a cerveja é feita em casa Além das reações somos bombardeados por muitas perguntas curiosas: “Mas fica boa igual à Brahma?”; “Em quantas horas fica pronta pra beber?”; “Como você coloca na garrafa?”, “Mas você só consegue fazer cerveja amarga?”; dentre outras...

Pensando em facilitar para essas pessoas interessadas em nosso mundo cervejeiro, apresentamos esse post somente com respostas a essas questões. Caso tenham outras perguntas, mande-nos que incluiremos a resposta.


Primeiras Perguntas!

1- Essa cerveja que você faz em casa consegue ficar “tão boa quanto a Brahma”?

As cervejas “tipo pilsen”, produzidas em larga escala por grandes companhias, são leves, suaves e refrescantes, e agradam à maioria dos paladares brasileiros. As cervejas caseiras, são produzidas com processos menos automatizados e com menor controle tecnológico, mas podem sim ficar mais gostosas que as cervejas mais famosas, apesar de uma comparação ser bastante difícil. Existem inúmeros tipos de cerveja artesanal, e cada um deles trará sabores, aromas e sensações diferentes para quem os experimenta, portanto, não compare uma boa cerveja artesanal com uma cerveja “tipo pilsen”, busque dentre as inúmeras opções existentes aquela que mais lhe agrada, pois se você acha que não gosta de cerveja artesanal isso só significa que você ainda não experimentou o estilo que vai te conquistar.

2- Em quantas horas fica pronta para beber?

O processo de fabricação de uma cerveja caseira pode variar de dias a meses, isso porque existem 4 momentos da produção: Cozinha; Fermentação; Maturação; Envase. O cozimento dos insumos leva 7h; a fermentação em média 7 dias; a maturação em média 7 dias e o envase 15 dias. Sendo assim, uma cerveja simples costuma levar 1 mês para estar pronta para ser apreciada.

3- Mas onde você faz sua cerveja?

Sim, é possível fazer sua própria cerveja em casa. Conheço muitos cervejeiros caseiros que possuem amplo espaço e que podem produzir centenas de litros por produção, mas também conheço alguns que fazem 5 litros de sua breja sagrada no fogão de sua cozinha, em panelas pequenas e fermentam em recipientes de água mineral, escondidos embaixo da mesa da sala. Ou seja, não há muitos limites de espaço para isso.

4- Dá para fazer quantos tipos de cerveja?

A cerveja caseira não possui limites. A imaginação pode gerar incontáveis tipos diferentes de cerveja. Como exemplo, o último Guia de Estilos usado pelos cervejeiros caseiros – BJCP 2015 descreve 121 estilos diferentes de cerveja.

5- Como você faz para colocar o álcool?

Na etapa de fermentação, as leveduras (seres vivos) consomem o açúcar gerado pelo cozimento dos maltes e adjuntos na etapa da cozinha, gerando álcool, gás carbônico e outros compostos. Isso significa que, quanto mais doce o mosto e maior a capacidade de consumo da levedura, mais alcoólica será a cerveja pronta.

6- De onde vem a cor da cerveja?

Os diferentes tipos de maltes utilizados darão à cerveja cores, sabores e aromas diferentes. Existem de maltes claros a maltes torrados, diversidade que permite alterar bastante a cor e características da cerveja pronta.

7- De onde vem o gás?

Existem duas formas de criar o gás da cerveja. A mais comum na cerveja caseira é a utilização do gás carbônico gerado pela ação das leveduras, fechando a garrafa e fazendo que a pressão da garrafa incorpore o gás no líquido. A outra maneira é injetar artificialmente o gás no líquido, utilizando cilindros de CO2.

8- Como você coloca na garrafa?

O envase da cerveja é feito de forma simples, introduzindo o líquido maturado dentro da garrafa, juntamente com uma solução de açúcar que fará com que as leveduras gerem o gás, após o envase.

9- Mas você só consegue fazer cerveja amarga?

Existem variações de amargor em qualquer cerveja, sendo assim, podemos escolher se fazemos uma nada amarga ou muito amarga. Se você só encontra cerveja amarga dentre as caseiras que experimento é pelo gosto do cervejeiro...

10 - Quero encomendar, como faço?

Não devo vender minha cerveja caseira! Ela é feita para consumo próprio e de amigos e, por proibição legal, não pode ser comercializada. Para produzir e vender, existem regras rígidas do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, Vigilância Sanitária, além de outros regramentos governamentais. Ficamos felizes de compartilhar e obter o feedback dos amigos e familiares, e no caso dos amigos e apreciadores contribuírem para que a produção continue, aí sim, não há problemas. E um dia, verá a produção nas prateleiras das melhores lojas especializadas!



Para todas as perguntas uma resposta é certa: Cerveja boa vem aí!  


Fábio Borba – Cervejeiro e Sommelier da BorbaBeer Cervejaria Artesanal